Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Não cansem a minha beleza...

É favor não perturbar a minha sessão de beleza domingueira. Neste momento estou neste estado:

Se alguém ousar fazer-me uma pergunta para me obrigar a falar, tenha em consideração que o meu pé direito irá parar à sua parte traseira mais arredondada...

É que com estas máscaras faciais ficamos com a musculatura completamente estática e esticadinha e não vamos estragar o efeito por nada deste mundo, certo?

Tentei colocar também a máscara nos ouvidos a fazer de tampão para não ouvir o tal programa, que os meus pais estão a ver, chamado "Tugas não têm talento" mas na embalagem aconselha a não colocar nos olhos e ouvidos... :/. Foi só por isso.

Já agora o que coloquei na minha cútis foi isto:

Wonderful! {#emotions_dlg.sarcastic}

Coisas que me irritam!

 

Há não sei quanto tempo que tenho os meus testes marcados, feitos e entregues para fotocopiar nas escolas. Gosto de fazer as coisas com tempo. Just in case... não vá o diabo tecê-las! (cruzes, canhoto!)

 

Esta semana tem sido uma daquelas semana em que dia sim-dia sim há teste, seja nesta ou naquela escola. Sendo que nesta escola, aquilo que eu pedir porque preciso para trabalhar, está sempre feito a tempo e a horas, não me lixando o meu dia de trabalho.

 

Hoje foi dia daquela escola. Mais um dia de teste. Chego à escola e dirijo-me à reprografia. Vejo os meus originais em cima de um monte de papelada desorganizada. Sim, porque o middle name daqueka escola é desorganização. Espreito aqui, ali... nada! começo a sentir uns calores a subir pelo pescoço. Vou à procura da directora que é a única que pode tirar fotocópias. É que se for outra pessoa, pode levar alguma folha, o que é crime qualificado e a escola vai à falência!!! Sim, porque se acusam as pessoas de roubar rolos de papel higiénico...

 

Anyway, a directora estava desaparecida. Contei às minhas colegas o sucedido e todas convergimos à mesma ideia "se fossemos nós a não ter o trabalho feito, éramos queimadas em praça pública".

Lá improvisei uma aula para a turma que iria fazer teste. Sim, porque isto de se ser professor tem uma percentagem de actor, inventor e cientista. Pelo menos eu não faço as coisas em cima do joelho, há que pensar, elaborar e executar depois.

De repente, abrem-me a porta da sala: era a directora que é tão bem educada que nem à porta bateu, é tudo dela! "Desculpe professora mas não pude tirar as suas fotocópias... partiu-se uma peça da máquina... já cá esteve o técnico mas não arranjou... amanhã vou-lhe ligar outra vez..."

 

Não é por nada mas se o nariz crescesse sempre que as pessoas mentem ou se tentam descartar das suas responsabilidades, muitas seriam proibidas de sair à rua sem cortar o nariz!

E é isto que me irrita: a irresponsabilidade, a hipocrisia, o cinismo, o fazer as coisas para inglês ver, a incompetência... Ou os elementos non-gratos vão leccionar para outro lado ou esta escola vai mesmo à falência... Ai vai, vai!

 

 

Ajudante Precisa-se! Urgente!

 

 (Pilha de testes para corrigir)

 

Precisa-se de ajudante qualificado, do sexo masculino ou feminino, com desenvolta motricidade aos nível das mãos, designadamente velocidade na movimentação dos dedos. Pretende-se que consiga (eu não disse saiba...) distinguir o certo e o errado, procedendo à sua identificação através de marca gráfica colorida, gosto em manuseamento de papel, prazer em cortes de dedos feitos por papel, e musculatura forte para carregamento de resmas. Horário de trabalho flexível, sem remuneração paga a recibos vermelhos.

 

Os candidatos interessados deverão enviar CV para a Miss Pepper a fim de marcar entrevista de selecção. Critérios de avaliação muito elevados.{#emotions_dlg.clown}

A natureza dá espectáculo e eu morro de medo!

 

Não sei se foi só sobre a minha cidade ou se foi por Lisboa inteira mas esta noite esteve um temporal de meter respeito.

 

Ao início da noite, a chuva começou a cair com alguma força mas dentro do razoável. Eram 5.25 da manhã, acordei assustada com o barulho dos trovões e com a claridade dos relâmpagos. Eram sucessivos e cada um mais forte do que o outro. Era mesmo aterrador. E a água caía cada vez com mais intensidade, até tive a sensação de ter caído granizo...

Se eu estava atemorizada com todo este espectáculo da natureza, o Bóbi estava ainda pior. Saltava de um lado para o outro, agitado, e ladrava. Pobre bicho que não o conseguíamos acalmar.

 

Eu sempre tive muito medo de trovoadas. Desde pequena. que o som dos trovões me deixa completamente aterrada. Sempre que começava uma trovoada, enfiava os dedos nos ouvidos e ninguém conseguia tirá-los. Estivesse na escola ou em casa de alguma amiguinha, tinham que telefonar à minha mãe para me ir buscar.

 

Ainda hoje sinto muito respeito por esta manifestação da natureza. Mas o pior é quando estou a dar aulas e as crianças ficam todas amendrontadas. Lá tenho eu de armar-me em "destemida" para tranquilizar aquela gente pequenina...

Que chachada!

 

Eu até acredito que sim... Mas onde está ele - o talento - que não o consigo ver em parte nenhuma nos concorrentes?

E não me venham cá com tretas que o talento é "difícil de definir"... ou se é bom a fazer alguma coisa e se causa emoção em quem está a ver ou então fica-se em casa sugadito, em vez de ir fazer figuras tristes à frente dos espectadores tugas.

E ainda dizem que a programação da TV tuga não vale nada... eu até nem percebo porquê!{#emotions_dlg.angel}

O cupcake do Bóbi

 

O meu irmão levou o Bóbi ao seu passeio noturno para que este fizesse as necessidades. Desta vez a minha mãe também os acompanhou porque decidiu ir deitar o lixo fora.

 

Depois de umas belas corridas para esticar as pernas, umas demarcações de território por aqui e por ali, resolve exprimir as suas emoções de uma forma mais "sólida", digamos assim.

 

Como este cão é super inteligente - é pena não haver carcanhol para ir para uma escola de treino - resolveu que aquele "presente" teria de ser feito de uma forma diferente, mais "à humano".

 

Sabem aqueles pinos altos dos passeios? Pois é! O sr. Bobi sentou o seu belo rabiosque em cima de um desses pinos e... aí vai disto Evaristo! Deixou um belo cupcake em cima do pino! Mas de tamanho familiar!

 

Desta vez ninguém apanhou o dito cujo. Ficou lá à espera que o rabo de um cigano se sente lá em cima - é o que eles aqui fazem todo o santo dia - e leve o cupcake agarrado às calças para casa! Hihihhi!

 

E como se esta aventura não chegasse, o sr. Bóbi que estava sentado junto da minha mãe, resolveu presenteá-la com uma ventosidade anal sonora. E foi de taL maneira que a minha mãe sentiu o "vento" e ia desmaiando com o "perfume".

 

Desculpem os pormenores badalhocos mas não resisti a contar-vos isto. Só este cão mesmo!

Cenas de Autocarro #2- O cara de parvo

Mais um dia de escola, mais um dia de greve e mais uma ida de autocarro. Embarquei, sentei-me, açambarquei o lugar ao lado com as minhas coisas e lá prosseguimos caminho.

 

O autocarro passa por uma rua que toda a vida foi problemática. Dantes era porque tinha uma gráfica, agora é porque tem uma casa de repasto, outra de computadores e uma escola. E o que é que acontece? O mesmo que hoje!

 

Estava uma abécula mal estacionada, tipo metade em cima do passeio e metade na estrada, que impedia a passagem do autocarro. E primeiro que aparecesse para mudar a carrinha de lugar, até dentes cresceram nas galinhas! Como se isto não bastasse, ainda vinha a passo de caracol.

 

Pensei para com os meus botões "além de mole, ainda tem cara de parvo..." E não é que o meu pensamento foi partilhado por mais pessoas que o verbalizaram?!? Ouviram-se umas vozes masculina dizer "ainda por cima tem cara de parvo!" E nesse preciso momento, ouviu-se um efeito sonoro de desenho animado, aquele de quando se apanha um grande melão. Não falo ideia de onde veio mas que foi na hora certa, foi! Desatou tudo na risota.

 

Nem com isto tudo, o cara de parvo estacionou a carrinha bem. Enquanto ele fazia marcha atrás estava o pessoal todo a mandar bitaites e a rogar pragas "devias era mandar a mota abaixo", "ainda vais ter que a estacionar outra vez!"

Mas a melhor de todas, foi a do motorista do autocarro, que depois de ter feito ali manobras malabaristas, rematou com "deixa lá que ainda vais ter de sair daí,,, o que vem atrás não passa mesmo porque é mais largo que eu!"

 

Mas porque é que esta gente anda a empatar a vida de terceiros? E não podia logo ter estacionado a carrinha logo bem à primeira vez? Haja paciência para estes "cara de parvos"! 

Coisas minhas.

O que faz uma moçoila airosa e trabalhadeira como eu quando tem resmas, paletes, gigabites de coisas para fazer e lhe entra uma enxaqueca daquelas que não lembra nem ao Menino Jesus?

 

Escolha a opção correcta:

 

1) Troca o neurónio;

 

2) Encerra a loja;

 

3) Pinta as unhas.

 

Quem acertar, ganha uma viagem de metro grátis à hora de ponta! Eu pessoalmente faço questão de empurrar colocar a pessoa na carruagem :P

 

E a resposta certa é... é... é... a número 3! Ah pois é, estou a pintar as unhas para ver se esta magana se vai embora e ao mesmo tempo a fazer terapia ocupacional para me abstrair da tal gaja. Como as unhas estavam uma vergonha (e esta é uma das minhas "fobias") estou a pô-las com um ar decente. Ah, e como o Benfica ganhou... red is the colour! {#emotions_dlg.benfica}

 

 

 

Pág. 1/2